29
Out 10
29
Out 10

Próximo evento agendado

A associação FARO 1540 (http://www.faro1540.org/) já aderiu ao movimento 'Cidades pela Retoma' e vai organizar a sua 1ª conferência no próximo dia 3 de Dezembro (6ª feira), às 21h30, em Faro!

publicado por JCM às 14:00 | comentar | favorito
26
Out 10
26
Out 10

comunicações disponíveis

Sugerimos visita ao site da Associação de Cidadãos do Porto onde podem encontrar as intervenções da Conferência 'Cidades pela Retoma | Porto' (20 e 21 de Outubro).
http://www.acdporto.org/cidades-pela-retoma/
publicado por JCM às 15:29 | comentar | favorito
25
Out 10

Agradecimento

O movimento 'Cidades pela Retoma' gostaria de agradecer à Associação de Cidadãos do Porto (e ao Clube Literário do Porto) pela magnífica organização e logística do evento da passada semana.

CpR 2010

http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/

http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma 

publicado por JCM às 09:15 | comentar | favorito

Documentos de divulgação do movimento 'Cidades pela Retoma'

Documentação do Movimento 'Cidades pela Retoma'

Iniciativas desenvolvidas e a desenvolver:

  • Porto - 20 e 21 de Outubro - Associação de Cidadãos do Porto (link)
  • Faro -  3 Dezembro, 21:30 - Associação Faro 1540 (link)
  • Lisboa (ainda sem data marcada)
  • Aveiro (ainda sem data marcada)
publicado por JCM às 09:10 | comentar | favorito
25
Out 10

conclusões do encontro no Porto (Cidades pela Retoma)

(fotografia do 2.º dia)

Se não quiser ler tudo, use o seguinte índice:

 

Ponto 1-4 - enquadramento

Ponto 5-9 - apresentação do movimento

Ponto 10-16 - síntese da discussão no Porto (para já sobre 20 Outubro, em breve com notas sobre 2.º dia)

Ponto 17 - nota sobre os próximos passos

Ponto 18 - listagem das ferramentas de comunicação do movimento

 

[se quiser enviar comentário use o email cidadespelaretoma@gmail.com ]

 

Síntese

[ponto 1 – 4] diagnóstico da situação actual – Retoma e sobre as cidades

  • Face à crise financeira e económica que o país atravessa, têm-se vindo a produzir recomendações para 'equilibrar o controle da despesa pública com políticas que estimulem o desenvolvimento económico' (Augusto Mateus, SIC, 15 Out. 2010)  reconhecendo que ‘são necessárias medidas que ataquem o principal problema da economia: o crescimento’ (Vítor Bento, Público 18/10/2010).
  • A nível europeu, o comissário da política regional, Johannes Hahn, referiu recentemente (4 Out. 2010, http://www.theparliament.com) que ‘regions and cities have key role in EU 2020 to encourage a new economy which is smarter, greener and more inclusive‘.
  • Em Portugal, existe um esforço de política pública de cidades - Pólis XXI (http://www.dgotdu.pt/pc/), cujo efeito e potencial deve ser valorizado e avaliado.
  • Finalmente, a nível internacional importa chamar a atenção para o crescente reconhecimento do papel das cidades, quer a nível da melhoria da qualidade de vida das populações - World Urban Campaign das Nações Unidas (http://www.unhabitat.org/), quer na promoção do desenvolvimento económico - ‘No Economic Recovery without Cities’ do instituto americano Drum Major Institute for Public Policy (http://www.drummajorinstitute.org/).

 

[ponto 5-9] movimento Cidades pela Retoma

  • Tendo a consciência que não há receitas milagrosas, nem soluções mágicas para a crise, foi entendimento partilhado que a ‘crise pode ser uma oportunidade para pensar o futuro de forma colectiva e mais qualificada’ e que as cidades podem ter um papel relevante nessa discussão.
  • O movimento ‘Cidades pela Retoma’ tem, assim, dois objectivos: ‘Reflectir e problematizar sobre o 'papel das cidades na retoma económica' e ‘Estimular a construção de uma agenda local para a retoma‘.
  • A agenda local para a retoma deve procurar identificar dois tipos de questões: i) nova agenda de políticas públicas de desenvolvimento local (órgãos de decisão local); ii) um conjunto de pequenas iniciativas de 'baixo-custo' e 'alto valor acrescentado' de execução e efeito rápido e visível para animar a vida económica e social das nossas cidades (cidadãos, empresas, instituições);
  • Num primeiro momento foram identificados nove domínios prioritários (‘sujeitos a discussão’) que essa agenda deve reflectir: 1) Arte & Cultura; 2) Economia & Criatividade; 3) Espaço público; 4) Mobilidade; 5) Energia; 6) Ambiente e Espaços Verdes; 7) Tecnologias; 8) Solidariedade; 9) Organização do espaço;
  • Queremos que este movimento mobilize os cidadãos que, um pouco por todo o país, desejam fazer algo pelas suas comunidades e pretendemos que integre pessoas com diferentes sensibilidades e percursos profissionais (dos cidadãos 'comuns' aos especialistas da temática das cidades, passando por empresários, personalidades das artes, cultura e dos media e individualidades que desempenhem cargos de responsabilidade política). O movimento local pode também ser institucionalizado, isto é, podem ser organizações do poder local a promover a iniciativa.

 

[ponto 10-16] sugestões das apresentações/debate

  • O debate realizado na semana passada no Porto (movimento 'Cidades pela Retoma') mostrou que agenda política nacional e local tem de se centrar rapidamente na discussão sobre os instrumentos e meios adequados para a promoção do desenvolvimento económico e ainda acentuar a necessidade de pensar como o podemos fazer de forma colectiva.
  • Discutiram-se algumas áreas de aposta económica das cidades e foi recomendada reflexão e debate ('a crise deve ser aproveitada como oportunidade para reflectir', ainda que se tenha de ter em conta ‘a cultura conservadora e pouco avessa à mudança’). Foi sugerido e entendido como pertinente que as autarquias promovessem fóruns de debate sobre política de desenvolvimento económico local.
  • Apresentaram-se alguns exemplos de aposta económica das cidades (a nível nacional e internacional), por exemplo nos sectores da economia solidária ('envelhecimento produtivo'), da economia criativa ('cultura&criatividade'), da economia verde ('low carbon economy'). Foi reconhecida a necessidade de dispor de conhecimento sobre estas (e outras) matérias para apoiar a definição de (novas) políticas públicas, para evitar o tradicional ‘achismo’ (o conhecido ‘acho que’).
  • José Rio Fernandes referiu a importância de repensarmos a forma como temos vindo a construir as nossas cidades (‘será que gostamos da cidade onde vivemos?’) e dos valores e qualidades que devem ser promovidos e valorizados (urbanidade v urbanização; colmatação v fragmentação), valorizando-se ainda a cultura e a inovação, a reutilização dos edifícios a par da mistura social e a ‘cidade lenta’ a par da relação instantânea. Foi defendida a necessidade de um planeamento de tipo colaborativo que procure de facto integrar e articular temas e escalas, com transparência e envolvimento de agentes institucionais (“stakeholders”) e habitantes. A este propósito, foi louvada a políticas de cidades (Polis XXI), mas considerado um erro a ausência de informação sobre a sua implementação, em especial das Parcerias para a Regeneração Urbana.
  • Vítor Silva discutiu o potencial das ferramentas/tecnologias para a promoção da cidadania (entre transportar para ‘um futuro desconhecido’ ou para ‘um passado mais eficiente’). Uma delas é a chamada ferramenta pré-web e que consiste na deslocação pessoal aos locais públicos de decisão política (assembleias municipais e sessões de câmara) e no desenvolvimento de iniciativas de lobby pelo interesse colectivo. Para além disso, existem outras ferramentas tecnológicas que podem ajudar a disponibilizar e organizar informação para o cidadão (quer seja de iniciativa pública ou pessoal – a este propósito merece destaque - http://www.oportoemconversa.com/). Foram referenciados alguns exemplos de medidas de apoio à retoma (iniciativa de micro-crédito - http://www.kiva.org/; Dashboard para a Solidariedade Social - painel de indicadores das diferentes instituições de solidariedade social existentes numa cidade);
  • Centrando a discussão sobre a cidade/região do Porto, Rodrigo Cardoso apresentou as particularidades do modelo territorial (diferentes centralidades não concorrentes, mas complementares; cidade vs modelo de urbanização difuso; factores económicos relevantes não estão localizados no Porto) e sugeriu a necessidade de equacionar um novo modelo de organização político-administrativa que valorize as cidades (‘o modelo actual é centralista’; ‘governos metropolitanos são frágeis’). Rodrigo Cardoso sugeriu que ‘sendo inegável a urgência de formas locais de governação, e não estando ainda a regionalização montada em Portugal, que ela se possa fazer associando a visão regionalista à lógica territorial introduzida pelo espaço urbano, no seu sentido mais lato, e não a uma reprodução a pequena escala de uma estrutura de poder desajustada do território e da sociedade actuais. Foram apresentados alguns exemplos de dinâmicas de cidade/região (MetroBasel – Think tank da Região Metropolitana de Basel (http://www.metrobasel.ch/); Região Mastrich (http://www.mtricht.com/); BrainPort – Eindoven (http://www.eindhoven.eu/));
  • No período de debate colocaram-se algumas questões que justificam futuro debate: ‘modelo do Estado e a necessidade de requacionar o seu papel’; ‘ingredientes que uma cidade deve ter para o sucesso’; ‘novas formas de planeamento do território’ e a ‘necessidade de uma nova cultura institucional mais favorável à mudança’;

 

[ponto 17] próximos passos

  • Próximos passos a nível local (para o Porto mas também para outros locais)
    • Mobilizar um grupo de trabalho – ‘Cidades pela Retoma | Porto’
    • Convidar especialistas a formular opinião sobre assunto;
    • Sugerir que o tema das políticas de desenvolvimento económico das cidades seja debatido nas assembleias municipais dos vários municípios do G. Porto, para que sejam conhecidas e debatidas as opções
    • Criar opinião crítica sobre opções e, eventualmente, convidar especialistas a sugerir alternativas (ou recomendar estudos comparados com outros locais);
    • Estimular a mobilização dos cidadãos para o conceito das 'ideias simples para a retoma' (melhorias do quotidiano);
  • Próximos passos a nível nacional
    • Projecto ‘Saberes para a Retoma’ – repositório digital de saberes para a Retoma – centro de conhecimento sobre domínios de política pública ligados às cidades (investigação; análise de estudos de caso nacionais e internacionais);
    • Projecto ‘Ideias para a Retoma’ - local de partilha de ideias de cidadãos para iniciativas/políticas locais de desenvolvimento económico (geral com ligação às cidades)

 

[ponto 18] ferramentas

 

publicado por JCM às 09:00 | comentar | favorito
24
Out 10
24
Out 10

FAQ - How can I bring this initiative to my community?

If you want you can become a local partner of the initiative (latter on, we can send you a 'letter of agreement')!

We have design a five step methodology (http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/3550.html) that you can use to promote the initiative in your community.

We recommend that you organize a local group of interested people to help you and discuss the appropriate methodology.

Don't forget that the aim of this project is to discuss 'the role of your city in economic recovery' and to produce a 'local agenda for action'.

http://www.facebook.com/NoRecoverywithoutCities

Email: mailto:noeconomicrecovery@gmail.com

publicado por JCM às 21:38 | comentar | favorito
21
Out 10

Moving (No Economic Recovery Without Cities!)


Ver 'No Economic Recovery Without Cities!' Partners num mapa maior

publicado por JCM às 13:06 | comentar | favorito
21
Out 10

Apresentação Moivmento 'Cidades pela Retoma' no Porto

publicado por JCM às 02:05 | comentar | favorito
20
Out 10

Convite

Apareçam, hoje e amanhã, às 21h, no Clube Literário do Porto para a discussão sobre as 'Cidades pela Retoma'. Inscrições através do email: acdporto@acdporto.org
publicado por JCM às 17:50 | comentar | favorito
20
Out 10

Associação FARO 1540 aderiu ao Movimento 'Cidades pela Retoma'

A associação FARO 1540 (http://www.faro1540.org/) já aderiu ao movimento 'Cidades pela Retoma' e vai organizar a sua 1ª conferência no próximo dia 3 de Dezembro (6ª feira), às 21h30, em Faro!
publicado por JCM às 15:32 | comentar | favorito
19
Out 10

Participe no Movimento 'Cidades para a Retoma'

LOGOcidades_retoma_2.jpg


O movimento 'Cidades pela Retoma', que vai ter amanhã o seu primeiro evento na cidade do Porto (http://www.acdporto.org/ | http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/ | http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma ), pretende reflectir sobre o papel das 'cidades na retoma' e ajudar a identificar, em várias cidades portuguesas, uma 'agenda local para a retoma', constituída por um conjunto de ideias de 'baixo custo' e 'alto valor acrescentado', de execução e efeito rápido e visível e que visem animar (do ponto de vista social e económico) as cidades.
Num primeiro momento foram identificados oito domínios prioritários que essa agenda deve reflectir: 1) Arte & Cultura; 2) Economia & Criatividade; 3) Espaço público; 4) Mobilidade; 5) Energia; 6) Ambiente e Espaços Verdes; 7) Tecnologias; 8) Solidariedade.

Para apoiar esse trabalho estamos a solicitar o envio de informação sobre iniciativas relevantes de dinamização social, cultural e económica das cidades portuguesas, que possam ser referenciadas como 'experiências inspiradoras para a retoma'.

Nesse sentido, agradecemos todos os contributos que possa dar para este movimento de reflexão e acção (email: cidadespelaretoma@gmail.com).




'ideias para animar a vida económica e social das nossas cidades'
publicado por JCM às 23:31 | comentar | favorito

Conferência Cidades pela Retoma na Antena 1

ACdP - Associação de Cidadãos do Porto e Cidades pela Retoma na Antena 1. Aos 24m28s
http://ww1.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=1043&c_id=1&dif=radio&idpod_audio=74319&idpod
publicado por JCM às 17:52 | comentar | favorito

O que é o movimento 'Cidades pela Retoma'?

Pretendemos com o movimento 'Cidades pela Retoma' colocar as comunidades de cada cidade a reflectir sobre o que podem fazer para animar (do ponto de vista social e económico) as suas cidades, um pequeno contributo para reagir à crise económica.
A metodologia terá momentos de encontro (debates) e momentos de troca de informação através da internet (mailing-list, blogue e facebook).
O primeiro encontro será amanhã e depois no Porto (Clube Literário do Porto), e pretende iniciar a problematização da questão (papel das cidades na retoma), não sendo ainda intenção focalizar exclusivamente a questão na cidade de Porto. Deverão seguir-se outros, provavelmente em Lisboa e em Aveiro.
No final pretendemos que cada cidade desenhe um plano de acção para a crise ('agenda local para a retoma') que contenha um conjunto de pequenas ideias, de 'baixo custo' e 'alto valor acrescentado', de execução e efeito rápido e visível, pelas quais os cidadãos e instituições se deverão responsabilizar por executar e avaliar.
JCM
publicado por JCM às 12:57 | comentar | favorito

notas sobre Fórum Rio Cidade Criativa (contributo enviado Cleydia Regina Esteves]

Forum Rio Cidade Criativa, 7 a 9 de Outubro 2010 - MAM (Museu de Arte Moderna e Parque Lage) promovido pelo Coletivo [rio] Cidade Criativa - Regina Miranda (www.cidadecriativa.org/)


[notas escritas por Cleydia Regina Esteves]



'Este coletivo se reúne há um ano e foi iniciativa da Socio-coreóloga (Estudo dos gestos corporais como movimentos ritualísticos) Regina Miranda, que já teve outras iniciativas semelhantes na área da cultura na cidade do Rio de Janeiro. Ela é consultora internacional para a área da cultura e artes e atua especialmente nos EUA e no Brasil.

Esta iniciativa visa, entre outros objetivos, estimular, refletir, organizar e mobilizar as pessoas, instituições, empresas e governos para a importância das artes e da classe artística para a promoção e desenvolvimento da cultura como fator de crescimento social e econômico da cidade do Rio de Janeiro e seu entorno.

Como Regina fala a partir das Artes e crê na potencialidade da classe artística como dinamizador da capacidade criativa existente na cidade, ela reconhece neste grupo um protagonismo que é preciso estimular, organizar e apoiar para que ele possa expressar adequadamente esta riqueza cultural e, ao mesmo tempo, contaminar a vida urbana do Rio de Janeiro de forma propositiva e co-participe na resolução dos problemas que a cidade apresenta.

Para tanto ela fez um projeto de 10 anos de implementação e foi buscar parceiros nas instituições civis, públicas e privadas. Com esses primeiros passos dados, foi organizado o Forum então para que o movimento ganhasse visibilidade, adesão e proporcionasse o debate entre os diferentes atores que atuam na sociedade carioca.

Neste fórum foram apresentadas diversas mesas (na verdade foi usado um sofá, para quebrar um pouco a dinâmica das apresentações formais e aproximar os palestrantes dos assistentes). Nelas falaram autoridades públicas, professores universitários, artistas, pesquisadores, representantes de ONGs, empresários e convidados internacionais: Luis Cancel, secretário de cultura da cidade de São Francisco (http://www.sfartscommission.org/) e Damien Pwono, Diretor Iniciativa Global sobre Cultura e Sociedade, Aspen Institute (http://www.aspeninstitute.org/people/damien-pwono), ambos dos Estados Unidos da América.

Os temas tratados foram vários: a própria cidade do Rio de Janeiro e se de fato era uma cidade criativa, o seu patrimônio arquitetônico, artístico e cultural; a própria sociedade carioca e o carioca como potencialidades criativas e criadoras; a gestão pública e privada dos espaços culturais e públicos da cidade; as carências de infraestrutura, de equipamentos sociais e a desigualdade social como fatores limitantes e ao mesmo tempos, desafiadores às elites políticas, econômicas, sociais e culturais da cidade, entre outros, analisados à luz de experiências internacionais exitosas ou não.

A cidade do Rio de Janeiro terá até 2016, um evento de escala mundial por ano (2011-jogos militares mundiais; 2012- Rio+20; 2013 -ICOM; 2014 - Copa do Mundo; 2015 - 450 anos da cidade e 2016 - Olimpíadas), o que torna sua agenda extremamente complexa e vai exigir das suas lideranças uma enorme capacidade de resposta para os problemas que a cidade apresenta. Sobretudo no sentido de que toda a atratividade e investimentos que ela conseguir, fiquem como resultados positivos para sua população e não só.

Ficou patente a necessidade de se pensar a cidade em diferentes escalas (local, regional, nacional e mundial), de não se ignorar as mazelas sociais que apresenta e a oportunidade que haverá para minimizar grande parte delas, a importância da participação democrática de todos, a geração de consensos para ultrapassar impasses e diferenças, de se pensar a longo prazo e portanto a noção de planejamento é essencial para organizar, implementar e monitorar ações e projetos, o incentivo à participação cidadã através do empreendedorismo, voluntariado, ações conjuntas entre os diferentes atores sociais (na formação, acrescento eu, daquilo que em nossas pesquisas, no IPPUR/UFRJ, estamos trabalhando, isto é, de redes cívicas) e outras possibilidades de democracia participativa que fortaleça a sociedade na prática de ações informadas.



Experiências Internacionais

Durante o evento e através de alguns palestrantes, foram apresentadas e discutidas algumas experiências internacionais que obtiveram êxitos em seus objetivos.

Entre estas foram apresentadas mais detidamente, as que a cidade de São Francisco encontrou, ao longo de sua história, para superar momentos de crise ou desastres naturais, como foi o caso do terremoto de 1906. Mais recentemente foram colocados em ação, alguns projetos que visavam minimizar os efeitos da crise do subprime naquela cidade.

Através de sua "Arts Comission" (uma instituição que foi criada na virada do século XIX para o XX com a contribuição de grandes capitalistas que viviam na cidade) foi elaborada a campanha "instalações e apresentações culturais em espaços públicos". Vários projetos foram postos em prática, como por exemplo: Storefronts Program (http://www.sfartscommission.org/media/news-events/2010/05/14/art-in-storefronts-pilot-program-launches-in-chinatowns-wentworth-alley/), Fight for the neighbordhood (http://www.nytimes.com/2009/12/20/arts/20sfculture.html), entre outros que buscavam mobilizar os artistas, os comerciantes, moradores e demais integrantes da sociedade local.

Quando ele explicou estes programas, logo surgiu-me no pensamento os quarteirões, lojas e vitrines (montras) vazios do centro histórico do Porto. Qual é a história então? Cancel explicou que com a crise, muitas lojas fecharam na cidade de São Francisco, com isso muitas ruas começaram a ficar vazias e os poucos lojistas que resistiram não conseguiam atrair a população. Então foi pensado o projeto que consistia em reunir proprietários das lojas vazias, comerciantes e artistas, para que estes ocupassem aquelas vitrines vazias com obras de arte. Não só isto atraiu novamente população para estas áreas, como também minimizou o impacto visual de prédios não ocupados (com possível risco de degradação) e proporcionou aos artistas, expor sua arte de forma inusitada, criando um novo espaço de visualização.

O outro projeto buscava fazer das pinturas nos muros e paredes da cidade, uma arte engajada e com qualidade do grafiti.

Este programa buscou atrair os jovens por meio da pintura urbana e para tanto, envolveu também as escolas e o intercambio de informações entre os agentes interessados na solução deste problema.

Em relação à cidade do Porto, a primeira experiência pareceu-me bastante interessante, porque já na Miguel Bombarda, há uma espécie de revitalização urbana e artística com a junção daquelas várias galerias de arte. E há uma rua paralela à Avenida dos Aliados que apresenta a concentrações de lojas conceituais, por exemplo de discos de vinil, barzinhos temáticos, etc. que poderiam ser aproveitados para mobilizar aderentes.

Creio que o centro histórico do Porto se presta perfeitamente a esta experiência, pois há lojas ainda do século XIX, com fachadas belíssimas, de madeira nobre, com arabescos e decorações do gênero. É fácil e rápido de percorrer e já tem um charme próprio (desculpe, aqui já é a amante do Porto falando com o coração cheio de saudade), incentivando a "flanerie" nas suas ruas.

Penso que este resumo dá uma idéia geral do que foi o Forum e obviamente, através das minhas impressões, como geógrafa e historiadora'.

>

Muito obrigado, Cleydia, por este muito interessante e inspirador relato.

JCM
publicado por JCM às 00:58 | comentar | favorito
19
Out 10

'experiências inspiradoras para a retoma'

O movimento 'Cidades pela Retoma' quer dar destaque às iniciativas relevantes de dinamização social, cultural e económica das cidades portuguesas, que possam ser referenciadas como 'experiências inspiradoras para a retoma'.
Envie-nos o seu contributo (cidadespelaretoma@gmail.com)
publicado por JCM às 00:02 | comentar | favorito
18
Out 10

Badge | Cartão de Visita

Cidades pela Retoma

Divulga também a tua página

 

 

 

Copie o código abaixo e coloque-o no seu site. Apoie este movimento!

 

<!-- Facebook Badge START --><a href="http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma" target="_TOP" style="font-family: &quot;lucida grande&quot;,tahoma,verdana,arial,sans-serif; font-size: 11px; font-variant: normal; font-style: normal; font-weight: normal; color: #3B5998; text-decoration: none;" title="Cidades pela Retoma">Cidades pela Retoma</a><br/><a href="http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma" target="_TOP" title="Cidades pela Retoma"><img src="http://badge.facebook.com/badge/155585407806622.1703.758316290.png" width="120" height="93" style="border: 0px;" /></a><br/><a href="http://www.facebook.com/business/dashboard/" target="_TOP" style="font-family: &quot;lucida grande&quot;,tahoma,verdana,arial,sans-serif; font-size: 11px; font-variant: normal; font-style: normal; font-weight: normal; color: #3B5998; text-decoration: none;" title="Cria o teu próprio cartão de visita!">Divulga também a tua página</a><!-- Facebook Badge END -->

publicado por JCM às 18:46 | comentar | favorito

Experiências inspiradoras

UK's top 'green city'
http://www.forumforthefuture.org/


'Can the creative industries lead sustainable innovation?'
http://www.forumforthefuture.org/projects/creative-industries-project


'_connect is a new platform, brought to you by the Technology Strategy Board, provides an effective and powerful way for you to collaborate online, network and share knowledge with other innovators'
https://ktn.innovateuk.org/web/guest


The interactive map is updated with the new URBACT project partners!
http://urbact.eu/en/header-main/our-projects/map-of-the-projects/


LABORATÓRIO DE CRIATIVIDADE (Maus Hábitos, Porto)
http://www.maushabitos.com/wp-content/uploads/2010/09/Encontros-de-Criatividade7.pdf
publicado por JCM às 17:10 | comentar | favorito

mailing-list do movimento

Inscreva-se na mailing-list do movimento 'Cidades pela Retoma'. Participe!
http://groups.google.pt/group/cidadespelaretoma
publicado por JCM às 17:07 | comentar | favorito
18
Out 10

designer

LOGOcidades_retoma_3.jpg


O logotipo do movimento foi produzido gratuitamente pela designer Cristina Coutinho Pereira, a quem gostaríamos de agradecer o magnífico contibuto!
publicado por JCM às 00:08 | comentar | favorito
17
Out 10

metodologias

Este movimento só terá verdadeira expressão se sair internet (e das redes sociais virtuais) e se conseguir colocar os cidadãos em várias cidades a reflectir sobre o tema.
Nesse sentido, sugerimos a seguinte metodologia com duas etapas.

Uma primeira, que chamámos de problematização, irá procurar iniciar a reflexão sobre o tema. Inicia-se no Porto (nos próximos dia 20 e 21 de Outubro) e poderá ter outros eventos, com o mesmo carácter, noutras cidades do país. Devemos procurar partilhar os ensinamentos destas sessões com a comunidade alargada (e algo silenciosa) que segue a iniciativa.

Num segundo momento, seria interessante que se criassem grupos dinamizadores do movimento, em várias cidades, que iniciassem reflexões focalizadas no papel específico que cada cidade na 'retoma económica'. Será de esperar que nestas iniciativas os debates e as soluções se particularizem. No entanto, seria importante que cada grupo local tivesse sempre a preocupação de partilhar as experiências e os resultados com esta comunidade alargada, criando e alimentando um processo de aprendizagem colectivo.

Existe a consciência que esta iniciativa é muito ambiciosa e perante a letargia cívica e o desânimo geral pode nunca chegar à segunda etapa. Contudo, julgo que este momento de dificuldade pode ser uma oportunidade para estimular um novo olhar sobre as cidades e uma nova forma de pensar o futuro de forma colectiva (qualificar agenda de preocupações, juntar saberes, valorizar o conhecimento, envolver pessoas, qualificar processos).

JCM
publicado por JCM às 23:18 | comentar | favorito
17
Out 10

As cidades como motor do desenvolvimento económico do país!

'O segredo, já compreendido pelos países europeus mais competitivos, está em focalizar as políticas públicas e as iniciativas da sociedade civil no sentido de produzir produtos e serviços com mais valor acrescentado' Maria João Rodrigues, Expresso 16 Out. [plano para crescimento económico]
http://www.mariajoaorodrigues.eu/
publicado por JCM às 18:21 | comentar | favorito
16
Out 10

divulgação

LOGOcidades_retoma_3.jpg


O movimento 'Cidades pela Retoma' (http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/ e http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma) pretende dinamizar a reflexão sobre o 'papel das cidades na retoma económica' e estimular a construção de uma 'agenda local para a retoma'. Esta agenda deve procurar identificar um conjunto articulado de iniciativas de 'baixo-custo' e 'alto valor acrescentado' (nos domínos das arte/cultura, mobilidade, espaço público, ambiente, solidariedade) para animar a vida económica e social das nossas cidades.
Agradecemos o apoio na divulgação da ideia.
JCM

'ideias para animar a vida económica e social das nossas cidades'
[divulgue a iniciativa na sua cidade]

movimento 'Cidades pela Retoma'
site/blogue http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/
mailing-list http://groups.google.pt/group/cidadespelaretoma
facebook http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma

se desejar receber informações sobre a iniciativa envie email para cidadespelaretoma@gmail.com
publicado por JCM às 18:53 | comentar | favorito
16
Out 10

Que novas formas de organização social ou da comunidade gostaria de fazer surgir em Portugal? (Falar futuro)

'O aparecimento de 'grassroots', movimentos de cidadãos para resolver problemas ou desafios da sociedade, mais independente dos partidos políticos, que partam da percepção de questões difíceis e que possam usar melhor os instrumentos [e recursos] que já existem na nossa sociedade' Alexandre Quintanilha, Cientista (http://www.falarglobal.com/)

>

'Cidades pela Retoma' pode ser um pequeno contributo para responder a este desafio!

Cabe-lhe a si (e a nós) torná-lo realidade...

http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/

http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma
publicado por JCM às 15:01 | comentar | favorito
15
Out 10

movimento 'Cidades pela Retoma'


'ideias para animar a vida económica e social das nossas cidades'

[divulgue a iniciativa na sua cidade]

movimento 'Cidades pela Retoma'

site/blogue http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/

mailing-list http://groups.google.pt/group/cidadespelaretoma

facebook http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma

 

se desejar receber informações sobre a iniciativa envie email para cidadespelaretoma@gmail.com

 


publicado por JCM às 23:20 | comentar | favorito

Logotipo do Movimento

publicado por JCM às 19:40 | comentar | favorito
tags:
15
Out 10

Bem vindos!

5 passos.JPG


Bem vindos ao lançamento virtual do Movimento 'Cidades pela Retoma'.



1. Como sabem este movimento cívico pretende estimular uma reflexão colectiva sobre o 'papel das cidades (e de cada uma das nossas cidades) na retoma económica', num momento de particular dificuldade da vida do país e dos seus cidadãos.

2. Queremos que esta dinâmica seja mobilizadora dos cidadãos que, um pouco por todo o país, desejam fazer algo pelas suas comunidades e pretendemos que o movimento integre pessoas com diferentes sensibilidades e percursos pessoais/profissionais (dos cidadãos 'comuns' aos especialistas da temática das cidades, passando por empresários, personalidades das artes, cultura e dos media e individualidades que desempenhem cargos de responsabilidade política). Desejamos com esta abordagem valorizar a importância das várias formas de conhecimento (do empírico ao técnico/científico) e estimular diálogos e aproximações entre diferentes perspectivas!


3. Sugerimos que a reflexão, que o movimento dinamize, tenha dois momentos. Um mais genérico, centrado na discussão do papel que as cidades devem ter no desenvolvimento económico e social do país (e que se iniciará no debate de 20/21 Out. no Porto) e outro mais focalizada em cada uma das cidades onde se vierem a organizar 'grupos de debate' à escala local. Para este segundo momento produzimos um documento anexo ('5 passos') para o qual agradecemos os comentários!

4. Para além do ponto de encontro virtual (na mailing-list - http://groups.google.pt/group/cidadespelaretoma), onde iremos trocando impressões, convidamo-los a editar directamente pequenas notas na página do Facebook (http://www.facebook.com/CidadespelaRetoma) ou a enviar informação para publicação no blogue (http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/) utilizando o email cidadespelaretoma@gmail.com.


5. Como dissemos anteriormente, a iniciativa vai ter um primeiro evento no Porto, nos próximos dias 20 e 21 de Outubro, às 21h, numa iniciativa organizada pela Associação de Cidadãos do Porto (http://www.acdporto.org/), a quem gostaríamos de agradecer todo o apoio e disponibilidade. Foram convidados para essas sessões um conjunto de especialistas que nos irão ajudar a problematizar a questão. Convidamo-los a estar presente no arranque desta empolgante (e difícil) caminhada.

6. Finalmente, gostaríamos que o movimento criasse dinâmicas de reflexão em várias cidades portuguesas, desejavelmente, e numa primeira fase, naquelas onde houver maior 'massa crítica'. Se puderem ser promotores ou indutores dessas dinâmicas era óptimo.


7. Relembramos que esta é uma iniciativa cívica, não profissional, pelo que apelamos ao vosso envolvimento voluntário e dedicado a esta causa que a todos motiva e preocupa.

Terminamos referindo que este é um espaço informal, sem protocolos. Esperamos que se sintam à vontade para conversar e que o nosso encontro seja frutuoso.


Um abraço



José Carlos Mota

membro do Movimento 'Cidades pela Retoma'

Aveiro

cidadespelaretoma@gmail.com

josecarlosmota@gmail.com
publicado por JCM às 01:26 | comentar | favorito
14
Out 10

Moving

Facebook has informed us that the account [http://www.facebook.com/noeconomicrecoverywithoutcities] has been disabled. So we moved to [http://www.facebook.com/pages/No-Economic-Recovery-Without-Cities-World-Civic-Initiative-Platform/156766497672970]. Sorry! JCM
publicado por JCM às 19:08 | comentar | favorito

Em movimento...

Organize uma parceria local para dinamizar a ideia na sua cidade. Essa parceria pode ser mais ou menos institucional. Pode partir da sociedade civil, que se organiza para mobilizar a comunidade e os agentes locais, ou pode ser promovida pelos órgãos institucionais locais (autarquias, associações económicas, culturais ou centros de saber) que devem procurar mobilizar os cidadãos e as forças vivas locais.

publicado por JCM às 09:05 | comentar | favorito
14
Out 10

ask what you can do for your country

‎'And so, my fellow Americans: ask not what your country can do for you - ask what you can do for your country'. JFK


publicado por JCM às 09:00 | comentar | favorito
13
Out 10
13
Out 10

quer dinamizar a campanha na sua cidade?

Quer dinamizar a iniciativa na sua cidade?
Entre em contacto connosco pelo email cidadespelaretoma@gmail.com!
publicado por JCM às 18:32 | comentar | favorito