Primeiras Conclusões da Conferência Cidades pela Retoma | Faro | 3 de Dezembro

Realizou-se ontem à noite em Faro a segunda conferência do Movimento ‘Cidades pela Retoma’ organizada pela Associação Faro 1540 (http://www.faro1540.org/).

Apesar da noite fria a sala da Sociedade Recreativa Artística Farense encheu-se para ouvir os três conferencistas convidados pela organização: Eng.º Macário Correia, Presidente da Câmara de Faro, Professor Ilídio Mestre, Director do Instituto Superior de Engenharia da U Algarve e Professor António Rosa Mendes, professor universitário e Comissário da Faro Capital da Cultura 2005.

Como principais conclusões regista-se o seguinte (notas enviadas por Bruno de Azevedo Lage):

  • Faro nos últimos 25 anos foi sujeita a uma série de atentados urbanísticos, onde reinava o caos e não existia uma política de ordenamento estruturada e pensada;
  • A vida no centro urbano de Faro desaparece a partir das 18h00 (e em algumas zonas já é uma cidade fantasma a toda a hora do dia e da noite com uma imensidão de edifícios devolutos e altamente degradados);
  • Reabilitar o casco urbano é fundamental para trazer mais vida ao centro da cidade e consequentemente reavivar a economia local - com residências para estudantes universitários, apoios para o arrendamento jovem, residenciais ‘low-cost’/pousadas da juventude, ateliers para artistas, espaços culturais; Gente atrai mais gente!
  • Contudo, não se pode pensar em reabilitar só o casco velho da cidade, urge reabilitar e reestruturar a periferia da cidade que está de igual modo morta e esquecida. Esta medida visa essencialmente criar novas centralidades;
  • Urge preservar e promover a zona histórica da cidade como forma de atrair o turismo cultural e consequentemente com mais poder de compra (Ironicamente Faro apesar de ser a capital da região mais turística do país, não tem turismo);
  • É necessário aumentar a oferta hoteleira na cidade, mas para isso criar pólos atractivos para os turistas terem interesse em vir à cidade;
  • Apostar na produção e promoção do produto regional (medronho, o vinho algarvio, a laranja, a alfarroba, gastronomia);
  • A Universidade é um pólo económico muito importante para a cidade, mas para além do dinheiro que os estudantes geram, esta (cidade) não aproveita a massa crítica e o conhecimento que a universidade oferece (à excepção da Faro1540 que constantemente vai buscar essa massa critica à UAlg para os seus eventos). Sugeriu-se parcerias entre a UAlg e a autarquia e outras instituições para se desenvolverem projectos na área da arquitectura, urbanismo, ambiente, turismo e no mar

A organização pretende realizar uma segunda conferência ‘Cidades pela Retoma’ sobre o tema das acessibilidades e transportes pois esse é um dos grandes problemas de Faro e da região do Algarve.

Mais informações: http://www.faro1540.org/

>

>

>

>

publicado por amigosdavenida às 18:43 | favorito